Mais uma vez:

quem foi que falou de amor?

Mas se for para falar…

    

Quem ama deixa, você disse?

Se quer realmente falar de amor,

não caio mais nessa

pois quem ama, não brinca

e você parece ter certeza de que sou criança

      

Não quis me relacionar,

não quis me envolver

Mas você quebrou minhas barreiras

mero capricho, talvez?

Querido, não precisava disso

      

Odeia cobranças?

Odeio conversas sem caminho

Odeio silêncio e meias palavras injustificadas

Não lembro de ter te cobrado

pedir foi demais para você?

Ou a intensidade da juventude que te assusta?

        

No fim, tudo se torna poesia

e é só mais uma ressaca;

o corpo se acostuma

Não pense que existe espera

pois para os sentimentos, não há voltas

       

-Minha estrada não tem placa de retorno-

Já disse isso uma vez

Esqueceu de ouvir?

Agora repito, rindo irônica, para você

        

Se servir de conselho,

aproveite que ainda não passaram os desvios

Só que a estrada está mais esburacada, aviso

e algumas palavras bonitas

não serão suficiente para consertá-la

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s