Retorno

De tanto se rejeitar,

foi embora dela mesma

Mas agora quer voltar

sem medir esforços para isso

Anúncios

Amanhecer

Não quero mais a noite!

Quero a luz, quero o calor

chega de me esconder entre

fantasmas

 

Será este

o momento de responder

aos desejos do meu coração,

que tanto anseia amar e

teme o amor?

 

Este mesmo coração

cigano

que insiste em se prender

onde as amarras são fracas

e as raízes, falhas

Depressão

Cada dia aparece

nova batalha

entre me permitir viver

ou ficar no chão frio

abatida pelo sono excessivo

 

Acordar sempre é

parte da vitória diária

de não sucumbir à paralisia

quase total

 

E fugir é a melhor forma

de fingir que a felicidade

também foi feita para mim

longe de caixas

compradas em farmácia

Vidência

-Conte-nos o futuro! 

o que acontecerá? 

Perderemos sonhos 

protegendo a vida? 

Perdoaremos homicídios 

esquecendo suicídios? 

Curaremos doenças 

com tempo de rezar? 

Moraremos no deserto 

para nos salvar? 

 

-Protegeremos sonhos 

esquecendo a vida. 

Perdoaremos suicídios 

antes de homicídios. 

Rezaremos 

curando doenças. 

Moraremos no deserto, 

sem esquecer 

que a neve noturna 

é a água da manhã.

Ciclo

Um dia é só mais um dia

tempo se esvai

sem perceber

 

Fases mudam

sempre igual:

vivo em eterna lua cheia!

 

Mesmas músicas

olhares, locais

melancolia preenche

 

Estações seguem?

Trem parado, inverno

graveto segura avalanche

 

Baratas se alimentam

restos soterrados na neve

mais uma ex-perança

 

 

Questionamentos

Quantas vezes uma alma pode ser rompida?

Com quantos toques não permitidos um corpo se parte?

São quantos os pedaços arrancados até um coração parar de chorar?

Em até quantos cortes uma pessoa pode ser divida?

Depois de quanto tempo a carne exposta começa a apodrecer?

Quantos lances determinam a carniça mais barata?

Quantas palavras são necessárias para destruir alguém?

Como salvar quem já se perdeu?

Ocaso

 

Meu corpo está frio

Tão frio!

Meu coração não bate

Já não bate

 

Que ecos são esses na minha mente?

Não, não quero morrer mais uma vez!

 

Minha respiração hoje falha 

Minhas pernas sucumbem 

Minha voz desaparece

 

Até quando conseguirei sentir algo?

Minha própria indiferença me apavora

   

Não, não vou mergulhar nessa escuridão de novo!

Mas que forças ainda tenho para lutar?

 

E ela está sempre me rodeando

esperando um sinal de fraqueza

Já ordenei que fosse embora!

    

Mas não, ela não vai voltar!

Mesmo se eu estiver fraca, vou resistir

Ela não conseguirá mais me controlar!

Dez segundos

Dez segundos para me amar

Dez segundos deixarei

Veja bem:

Nesta louca história,

O samba sou eu

 

Dez segundos de paz

Dez segundos de vigor

Como é estranha a vida:

O médico vira monstro

E o homem é um inseto

 

Dez segundos para sentir,

Dez segundos para morrer

Pense novamente:

Se o bem faz o mau,

O mal faz bem?

 

Dez segundos,

Hamlet vira Julieta

 

Dez segundos,

O pesadelo acaba

 

Dez segundos,

Tudo termina

 

Dez segundos,

É o recomeço